AnimaDoux - Clínica Veterinária 24 Horas

A Melhor e mais Completa Clínica Veterinária de Campo Grande Mato Grosso do Sul

Aqui Você encontrará: Day Care, Hotel para Cachorros, Clinica, PetShop, Banho e Tosa tudo em um só Lugar!

X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Anima Doux - Clínica Veterinária 24 horas em Campo Grande

Anestesia inalatória e controle de dor

Entenda a importância de uma anestesia bem feita.

Por Thiago Lucena dia em Clínica Veterinaria

Anestesia inalatória e controle de dor
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

O objetivo da anestesia é providenciar hipnose, amnésia, analgesia e relaxamento muscular reversíveis com um risco mínimo para o paciente.

A monitorização anestésica pode se definir como a aplicação de técnicas físicas ou instrumentais com o objetivo de vigiar a evolução das constantes vitais de um paciente durante a anestesia e tendo como meta a recuperação anestésica.

SEDAÇÃO

A sedação é comumente usado em situações onde o animal passa por algum procedimento rápido, como raio-x ou exames clínicos onde o animal é muito bravo ou está com muita dor, também em algumas situações que ofereçam algum risco, como em um trauma torácico, sempre com autorização do tutor.

ANESTESIA INALATÓRIA

A anestesia Inalatória ficou conhecida como a melhor anestesia que existe, porém exitem alguns casos onde ela não é a mais indicada, existem algumas patologias onde o risco de morte aumenta se for utilizada.

Existem hoje vários tipos de medicações anestésicas e pré-anestésicas, quem vai avaliar melhor e definir qual anestesia é a mais indicada para o paciente é o anestesista, avaliando o estado do animal, idade, obesidade, problemas renais, hepáticos ou cardíacos, por isso o exame pré-anestesico ou pré-cirurgico é tão importante.

Mesmo assim na maioria dos casos ela ainda é a mais recomendada, segue um link das mais de 50 vantagens, da anestesia inalatória em comparação com a anestesia injetavel: 

clique aqui

Riscos de anestesia

Independentemente da duração da anestesia e de qual tipo de anestésico a ser administrado, sempre existem riscos para a vida de seu cachorro. Alguns estudos indicam que aproximadamente 1 em 100.000 animais vão apresentar algum tipo de reação à anestesia.

Porém existem alguns trabalhos que indicam que quanto maior o tempo cirurgico, maior é o risco do paciente. Por isso, para aqueles pacientes que precisam passar por mais de um procedimento cirurgico, o ideal é que se faça apenas um procedimento por vez. Melhor anestesiar o animal várias vezes com menos de 1 hora de duração, do que "aproveitar a anestesia",onde talvez todos os procedimentos dure mais de 2h.

As reações podem variar desde leves alterações a mais graves, podendo até chegar a choque anafilático ou morte.

Uma dica importante é se certificar de que a clínica dispõe de equipamentos de emergência, e esteja apta a agir diante de uma situação emergencial, afinal, assim como em humanos, a anestesia é um procedimento delicado, sendo inclusive necessária a assinatura pelo tutor de um termo de ciência dos riscos.

A Clinica Anima Doux possui profissionais capacitados e que sempre estão estudando e se atualizando para cada vez melhor atender seus pacientes. Também possuimos equipamentos e materiais para atendimentos emergenciais e de urgencia. (oxigenioterapia, monitor multiparamétrico, farmácos, etc)

Manifestação e tratamento da dor

No que se refere aos cuidados veterinários, são grandes os empenhos para melhorar os conhecimentos, o reconhecimento e o tratamento da dor em animais.

Além da consideração ética da supressão da dor, são comprovados os benefícios do uso dos analgésicos reduzindo o estresse emocional, não liberando substâncias deletérias para o organismo e facilitando a recuperação do paciente, reduzindo a mortalidade e a morbidade.

A dor tratada incorretamente pode produzir efeitos negativos nos sistemas cardiovascular, respiratório, gastrintestinal, neuroendócrino e imune.

O aumento nos níveis de cortisol, secundário à dor, pode prejudicar a cicatrização de feridas e diminuir a capacidade de ação adequada do sistema imune.

A dor ativa o sistema neuroendócrino e causa a liberação de catecolaminas, glucagon, insulina e somatostatina, contribuindo para o aparecimento da caquexia. O aumento na retenção de líquidos leva à ativação do sistema reninaangiotensina, que eleva a pressão arterial e diminui a perfusão renal. 

Os sinais que indicam dor em um animal é: aumento da pressão sanguínea, aumento da frequência cardíaca, vasoconstrição periférica, aumento da frequência respiratória, podendo ocorrer tensão muscular se a dor se localizar no centro do tórax.

Faz parte da rotina a utilização de diversas classes de fármacos com ação analgésica como anti-inflamatórios, opióides, anestésicos locais, entre outros, de forma isolada ou associados entre si, proporcionando analgesia multimodal ou balanceada com grande eficiência e mínimos efeitos colaterais.

A dor em pequenos animais pode ser observada através de alterações comportamentais, facilmente percebidas pelo tutor, como aumento da ingestão de água, redução ou perda de apetite, aumento ou diminuição da temperatura corporal ou o ato de mancar.

Sinais de dor no cão:

• Vocalização;
• Buscar atenção;
• Esconde região afetada;
• Postura arqueada;
• Tremores;
• Aumento da frequência respiratória;
• Lambe região afetada.

Sinais de dor no gato:

• Rara Vocalização;
• Rosna com aproximação;
• Esconde região afetada;
• Postura arqueada;
• Atividade diminuída;
• Ausência de autolimpeza.
• Pode ronronar à beira da morte.

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: